CI162 – Engenharia de Requisitos | 2 Semestre de 2018

Prof. Roberto Pereira | Apoio: Mateus Rambo Strey

Horário: 17:30-19:30
Local: 4a-feiras; 6a-feiras – PA05
Horários de atendimento: Quartas e Sextas das 16:30 às 17:30, Sala 87 DInf

Resumo: Nesta disciplina será trabalhado o processo de entendimento de problema, proposta de solução, e especificação da solução de software. O conceito de Requisitos e sua engenharia é central nesta disciplina e será trabalhado com dinâmicas inspiradas pela filosofia Ágil. A disciplina buscará desenvolver o entendimento sistêmico do problema e a experimentação de artefatos, métodos e ferramentas. A disciplina adotará uma dinâmica de trabalhos em duplas, com influências do Aprendizado Ativo e da noção de Sala de Aula Invertida.

Ementa: Engenharia de software e engenharia de requisitos, análise de sistemas e negócio, engenharia de requisitos, extração de requisitos, especificação de requisitos, validação de requisitos, modelos de análise; métodos de análise, interação entre requisitos e análise, construção do modelo de análise.

Média Parcial = (Prova1 + Projeto1 + Prova2 + Projeto2)/4

Requisitos para aprovação, conforme exigido pela Resolução 37/97-CEPE.

Mínimo de 75% de Frequência e Média Final* >= 50.

* Média Final = Média Parcial, se Frequência >= 75% e Média Parcial >= 70 ou < 40;
* Média Final = (Média Parcial + Exame)/2, se Frequência >= 75% e Média Parcial >= 40 e < 70.

Dinâmica da disciplina:
Aulas teóricas e expositivas serão articuladas com aulas práticas. A disciplina será centrada na especificação de um sistema de software, em grupos, cujo resultado deverá ser: 1. um documento de especificação de requisitos de um software, e 2. um protótipo funcional desse software.

É esperado que ao final da disciplina os(as) participantes tenham exercitado:

1. Capacidade crítica de entendimento de problemas;

2. Habilidades de trabalho em equipes e de gerenciamento de projetos;

3. Capacidade de proposta, especificação e modelagem básica de um sistema de software;

4. Aplicação eficiente do Modelo Conceitual/Domínio e do Diagrama de Casos de Uso;

5. Ampliação da gama de técnicas, ferramentas e artefatos de apoio;

6. Visão sistêmica e socialmente responsável para o desenvolvimento de soluções computacionais.

Projeto: Interação com Dados e Transparência Pública: https://www.c3sl.ufpr.br/transparencia/

SIMTransparência é uma ferramenta de visualização de dados públicos, desenvolvida pelo C3SL, para apresentar os dados disponíveis no Portal da Transparência do Governo Federal. O projeto da disciplina envolverá a análise da ferramenta atual, o entendimento de problemas, a especificação de soluções de software para os problemas levantados e a prototipação e avaliação dessas soluções.

Equipes de 2 pessoas. Cada entrega deve indicar o GRR e nome dos participantes.

Bibliografia Básica
Larman, C. Applying UML and Patterns: An Introduction to Object-Oriented Analysis and Design Prentice-Hall, New Jersey – USA, 1997.
Pressman, R.S., Engenharia de Software – Uma Abordagem Profissional, Bookman, 8ª ed. 2016.
Sommerville, I., Engenharia de Software. Pearson. 9ed. 2012.

Bibliografia Complementar
Bezerra, E. Princípios de Análise e Projeto de Sistemas com UML. 3a edição. Editora Campus/Elsevier, Rio de Janeiro, 2015.
Filho, Wilson de Padua Paula. Engenharia de Software Fundamentos, Métodos e Padrões. LTC. 3ª Ed. 2009.
Leffingwell, D.; Widrig, D. Managing Software Requirements – Second Edition – A Use Case Approach Addison-Wesley, Massachusett, 2003.
Soegaard, M., Rikke, F.D. (Eds.) The Encyclopedia of Human-Computer Interaction. 2ª Ed. 2017. Disponível online: https://www.interaction-design.org
Vazquez CE, Simões GS. Engenharia de Requisitos: software orientado ao negócio. Brasport. 2016.